Indústria, inovação e infraestrutura

Construir infra-estruturas resilientes, promover a industrialização inclusiva e sustentável e fomentar a inovação.

2,3 biliões
Em todo o mundo, 2,3 biliões de pessoas não têm acesso ao saneamento básico.
40%
Em alguns países africanos com baixos rendimentos, as restrições de infraestrutura reduzem a produtividade das empresas em cerca de 40%.
2,6 biliões
2,6 biliões de pessoas nos países em desenvolvimento não têm acesso à eletricidade constante.
90%
Mais de 4 biliões de pessoas ainda não têm acesso à internet; 90% delas vivem em países em desenvolvimento.
2,3 milhões
Atualmente, os setores de energia renovável empregam mais de 2,3 milhões de pessoas. O número pode chegar a 20 milhões até 2030.
30%
Nos países em desenvolvimento, apenas 30% dos produtos agrícolas passam por processamento industrial, em comparação com 98% nos países desenvolvidos.

Investimentos em infraestrutura e inovação são indutores cruciais do crescimento económico e do desenvolvimento. Mais de metade da população global vive agora em cidades, por isso os transportes públicos e as energias renováveis são cada vez mais importantes assim como o crescimento de novas indústrias e tecnologias de comunicação e informação.

 

O progresso tecnológico é chave para encontrarmos soluções definitivas para desafios económicos e ambientais, assim como gerar novos empregos e promover a eficiência energética. Promover indústrias sustentáveis e investir em pesquisa científica e inovação são formas importantes de facilitar o desenvolvimento sustentável.

 

Mais de quatro biliões de pessoas ainda não têm acesso à internet e destes 90 por cento vivem em países em desenvolvimento. Diminuir esta distância digital é crucial para garantirmos acesso igualitário à informação e ao conhecimento, assim como propiciar a inovação e o empreendedorismo.

i
Metas do Objetivo 9 Construir infra-estruturas resilientes, promover a industrialização inclusiva e sustentável e fomentar a inovação
9.1 Desenvolver infraestruturas de qualidade, de confiança, sustentáveis e resilientes, incluindo infraestruturas regionais e transfronteiriças, para apoiar o desenvolvimento económico e o bem-estar humano, focando-se no acesso equitativo e a preços acessíveis para todos.
9.2 Promover a industrialização inclusiva e sustentável e, até 2030, aumentar significativamente a participação da indústria no setor do emprego e no PIB, de acordo com as circunstâncias nacionais, e duplicar a sua participação nos países menos desenvolvidos.
9.3 Aumentar o acesso das pequenas indústrias e outras empresas, particularmente em países em desenvolvimento, aos serviços financeiros, incluindo ao crédito acessível e à sua integração em cadeias de valor e mercados.
9.4 Até 2030, modernizar as infraestruturas e reabilitar as indústrias para torná-las sustentáveis, com maior eficiência no uso de recursos e maior adoção de tecnologias e processos industriais limpos e ambientalmente corretos; com todos os países atuando de acordo com as suas respectivas capacidades.
9.5 Fortalecer a investigação científica, melhorar as capacidades tecnológicas de setores industriais em todos os países, particularmente os países em desenvolvimento, inclusive, até 2030, incentivar a inovação e aumentar substancialmente o número de trabalhadores na área de investigação e desenvolvimento por milhão de pessoas e a despesa pública e privada em investigação e desenvolvimento.
9.a Facilitar o desenvolvimento de infraestruturas sustentáveis e resilientes nos países em desenvolvimento, através de maior apoio financeiro, tecnológico e técnico aos países africanos, aos países menos desenvolvidos, aos países em desenvolvimento sem litoral e aos pequenos Estados insulares em desenvolvimento.
9.b Apoiar o desenvolvimento tecnológico, a investigação e a inovação nacionais nos países em desenvolvimento, inclusive garantindo um ambiente político propício para, entre outras coisas, a diversificação industrial e a agregação de valor às matérias-primas.
9.c Aumentar significativamente o acesso às tecnologias de informação e comunicação e empenhar-se para oferecer acesso universal e a preços acessíveis à internet nos países menos desenvolvidos, até 2020.

Objetivos em ação